Arquivos
 31/10/2010 a 06/11/2010
 03/10/2010 a 09/10/2010
 26/09/2010 a 02/10/2010
 15/08/2010 a 21/08/2010
 27/06/2010 a 03/07/2010
 06/06/2010 a 12/06/2010
 09/05/2010 a 15/05/2010
 18/04/2010 a 24/04/2010
 21/03/2010 a 27/03/2010
 07/03/2010 a 13/03/2010
 07/02/2010 a 13/02/2010
 03/01/2010 a 09/01/2010
 29/11/2009 a 05/12/2009
 15/11/2009 a 21/11/2009
 08/11/2009 a 14/11/2009
 18/10/2009 a 24/10/2009
 20/09/2009 a 26/09/2009
 13/09/2009 a 19/09/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 19/07/2009 a 25/07/2009
 12/07/2009 a 18/07/2009
 05/07/2009 a 11/07/2009
 28/06/2009 a 04/07/2009
 21/06/2009 a 27/06/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 26/04/2009 a 02/05/2009
 29/03/2009 a 04/04/2009
 08/03/2009 a 14/03/2009
 22/02/2009 a 28/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 25/01/2009 a 31/01/2009
 04/01/2009 a 10/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 23/11/2008 a 29/11/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 19/10/2008 a 25/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 10/08/2008 a 16/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 29/06/2008 a 05/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 04/05/2008 a 10/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 11/03/2007 a 17/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 26/11/2006 a 02/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 05/11/2006 a 11/11/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006

Categorias
Todas as mensagens
 Filmes
 Crônicas
 CineNoticias

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Blog do Veriano
 


Entre a História e a Saudade

 

 

 

 

            Quando eu vi pela primeira vez “Aviso aos Navegantes”, cursava o ginasial do Colégio  Moderno.A repercussão do filme, na minha turma. eu qualifiquei de explosiva. Um colega, meu amigo até hoje, Agostinho Barros, imitava Oscarito com  perfeição e aproveitou o filme para reproduzir falas como “...é tanto tango, tanto tango, eu quero é samba, gafieira, trabalhar em Madurera, passear em Niteroi, sabe lá o que é isso ?”. Ele era fã declarado do comediante indispensável nas melhores chanchadas (como a critica chamava os musicais carnavalescos em tom pejorativo). Quando Oscarito veio à Belém com uma de suas peças (ele e sua família também faziam teatro),não se conteve em ir vê-lo no nosso Da Paz e foi ao camarim cumprimentá-lo. Eu fui de reboque. Lembro do ator limpando a maquilagem e agradecendo os nossos cumprimentos. A gente vivia o clima de festa do interior que esse tipo de cinema endeusava. O mundo parecia ingênuo embora tivesse saído de uma guerra sangrenta. Mas aqui no Brasil, especificamente em Belém do Pará, as coisas se comportavam de forma cavalheira. No carnaval existiam as “batalhas de confeti” nos bairros, quem tinha carro fazia o corso na Praça da República, não havia medo de sair  na rua de sujo com a cara pintada sem ser protesto politico-partidário, os romances tinham campo nas sessões de cinema, o sexo antes do casamento era copyright da zona do meretrício, os denominados palavrões eram restritos à área masculina (assim como o fumo), enfim, qualquer deslize de comportamento ganhava coluna de jornal (havia a especialista “Vozes da Rua” da Paulo Maranhão na “Folha Vespertina”), e o vicio maior era o álcool, embora o porre ganhasse status em canções, peças e filmes como “O Ébrio” de Vicente Celestino.

            Quando eu constato que “Aviso aos Navegantes” está fazendo 60 anos estremeço. Meus amigos do tempo da estréia do filme, assim como meus parentes, minha casa,a maioria já se foi. E o tempo que passou parece ter sido acelerado,hoje se falando de “antigo” com a data  dos anos 80. Mas nos 80 esta chanchada que ora se reapresenta já somava 30 anos. O ator Anselmo Duarte morreu ano passado depois um período  com Alzheimmer. A sociedade mudou tanto que a História com “h” maiúsculo é mais uma anedota. E se o riso volta, volta embalado em saudade.Talvez os jovens de agora nem cheguem a rir, ou a entender o que se queria que fizesse rir. Mas quem viveu o período da ação filmada sente duas vezes a emoção, ou seja, torna a achar graça até por um dia ter achado. É um encontro com o passado que irmana risos e lágrimas na constatação de que aquilo passou. Foi engraçado, mas passou.

            Cinema é uma arte mágica por renovar emoções. Na literatura você constrói no cérebro as imagens do que lê. Na musica você lembra o que a melodia construiu, Mas  no cinema são as imagens que reaparecem e testam a sua memória como um documento vivo. Tudo que está no filme esteve. E já foi conjugado no presente do indicativo. Um milagre rever seres humanos que já não são. Essa é faculdade primordial de uma técnica que sublima valores. Por isso, pela poesia resultante do reencontro, as chanchadas escapam da critica feroz. São aquelas silhuetas na paisagem faladas noutro filme.

            É por esse processo de revitalização do cinema que se deve dar valor aos técnicos que restauram filmes antigos. Eles são os doutores do tempo. Merecem os aplausos de todos os que gostam dessa arte edificada por tanta gente, dos Lumiére a Edison,de Daguerre aos computadores modernos.

            Aviso, portanto, aos novos navegantes: fiquem o leme na direção de onde vai passar o filme sessentão. É o baú dos ancestrais.(Pedro Veriano)



Escrito por Pedro Veriano às 16h51
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]